quinta-feira, 26 de junho de 2008

Viva la Vida


O novo disco do Coldplay divide opiniões. Para os que gostavam da banda por suas baladinhas e canções levadas pelo piano, ele decepciona. Para os que estavam um pouco cansados do mais do mesmo, ele é uma boa nova. Eu me coloco neste último time.

Apesar de em várias músicas lembrar
U2 – até mesmo porque a produção de Brian Eno quase que induziu a isso – a banda já demonstra uma tentativa de mudança ao abrir o disco com uma boa faixa instrumental, Life in Technicolor.

Joga-se fora o piano, chegam músicas mais orquestradas, cordas, guitarras com outra sonoridade. E um disco que flui bem, ao longo de suas dez faixas.
Como qualquer mudança, é estanha a primeira audição do disco. Mas quando se percebe que Chris Martin e cia. saem da cômoda atuação para dar uma chacoalhada na sua sonoridade, pode-se ver uma banda que caminha para a evolução e busca novos rumos.

Em meio às boas Violet Hill e Strawberry Swing, uma Viva la Vida se apresenta já como uma das grandes músicas desse ano. E, como já comprovaram os charts ao redor do mundo, faz com que o Coldplay, mesmo levando o seu som a novos horizontes, não perca nem público nem o sucesso com este disco. 9/10

4 comentários:

.raphael. disse...

Foi um dos discos que me surpriendeu esse ano. Coldplay sempre quis ser U2, mas tem uma levada diferente, no entanto, esse disco se aproxima mais. As canções que vc citou sao belas, mas a mais bonita achei Lovers in Japan! O cd foi dos que mais me agradou do grupo!

abs

Pitango disse...

A mim também!

Anne Elise disse...

Oi, lindão!!!

Poxa, mais uma vez, minha alienação xenofóbica não me deixa apta a comentar sua postagem...
Mas, fiquei super com vontade de conhecer este som...

Que bom que gostou de meu "presentinho"...

Adoro você!!!

Super beijo!!!

Abstracoess disse...

gostei do disco. De longe nao parece "coldplay", mas gostei.

abração.