terça-feira, 29 de abril de 2008

Um papo com Fernanda Takai

Ela é doce, porém forte, fala manso, mas com convicção. Na semana passada, os fãs curitibanos puderam participar de um bate-papo com Fernanda Takai, que lançava seu disco Onde brilhem os olhos seus e o livro Nunca subestime uma mulherzinha, e eu não deixei de conferir.

Com muita paciência e esbanjando simpatia, Fernanda respondeu às perguntas sobre sua mais nova e inédita experiência solo e também sobre sua carreira com o Pato Fu – sobre este ponto, inclusive, fez questão de deixar claro que a banda é sua prioridade na carreira.

A cantora e compositora explicou como surgiu a idéia do disco – a partir de um convite por e-mail feito por Nelson Motta – e como ficou surpresa com a receptividade da crítica e do público, o que já lhe rendeu prêmios e uma turnê que está passando por várias cidades do Brasil. A leveza e sinceridade com o projeto foi conduzido talvez seja o segredo dessa repercussão – nada soa falso ali. Pelo contrário, a participação de seu marido e parceiro de banda John Ulhoa e do tecladista Lulu Camargo dão a impressão que é um disco de homenagem a Nara Leão feita pelo próprio Pato Fu.

Após a conversa com os fãs, Fernanda ainda deu uma canja, interpretando “Canta Maria”. Depois, foi hora dos autógrafos e fotos. Como bom fã, fui lá e me surpreendi o quanto encantadora ela é ao lidar com cada pessoa, com atenção e naturalidade. Falei à Fernanda que queria ter levado um cd do Wandula para ela e não foi possível, mas deixava a dica, o que ela me respondeu dizendo que achava que o John conhecia a banda. Também disse que, ao lado de influências familiares que foram os Beatles e Chico, o Pato Fu foi a primeira banda que descobri sozinho. Com um sorriso, ela disse estar honrada em ser colocada ao lado dos Beatles. Por fim, deixei o endereço de um site legal para ela ver...

8 comentários:

Anônimo disse...

Ela passa isso mesmo que vc falou.

Quero ler este livro!!!

beijo, Gisele

Foguinho disse...

Tem,mas tá sem inspiração(ou melhor,vontade mesmo) para escrever.Eu to lendo do Sacks também o Tio Tungstênio.Muito bom.
Abração

Paulo disse...

EEEE que foto bem tirada :D

Anne Elise disse...

Eu tb queeeeeeeeeeeero!!!!

Raphael M disse...

muito massa! adorei a foto. eu nem sabia que ela tinha escrito um livro... bacana essa atenção que ela deu pros fãs, Takai realmente aparenta ser bem legal. e a canja foi boa tbm... embora goste mais de Pato Fu do que desse CD da Fernanda, fico na expectativa pro próximo disco solo. sem Nelson Motta, por favor :)

.raphael. disse...

Fernanda é um doce com uma voz mais doce ainda! Este cd é belíssimo! vou providenciar o livro tb, quero ler!

Abraço, vou linká-lo tb!

marciana disse...

Ahn, muito boa Fernandinha!
Há uns aninhos atrás eu tive a oportunidade de ir á um show do Pato Fú numa lona cultural perto de minha casa. Preço acessível, som perfeito, simpatia da Fernanda Takai, que, por sinal, abriu o camarim após um longo a árduo show cansativo.
É claro também que eu não perdi a oportunidade de ir conversar com ela, né!
Engraçado, ganhei o Isopor há uns muitos anos atras de presente do meu pai, e guiardo até hoje como "marco" da minha transição musical do pop-adolescente pra alguma outra coisa hahaha
Mas agora diz, não dá uma vontade de levar a Fernanda takai pra casa e colocar na estante (interrogação)

Saudades de ti, querido!
beijosmeliga!
;****

cfermino disse...

Que chiqueeeeeee ... poxa que legal adoro a fernandinha! Ainda não ouvi esse disco dela, ja tinha falar desse projeto dela, acho que vi ela na MTV falndo disso .. enfim .. que legal isso!