segunda-feira, 25 de fevereiro de 2008

Sobre "A Menina que roubava livros"


Sempre que começo a ler um best-seller, fico com um pé atrás. É um preconceito idiota, mas tratando-se de livros “pop”, assim como funciona para os filmes blockbusters, não se gera muita expectativa e aí a frustração é menor. E como é bom se deixar ser surpreendido por um best-seller que é um ótimo livro! Sim, isto que aconteceu com A menina que roubava livros.

A história de Liesel, uma garota que é entregue à adoção de um casal, na Alemanha hitlerista, em como ela se torna uma expert em roubar livros, é muito envolvente. A narradora é nada mais nada menos que a Morte (com maiúscula, em respeito) – não que seja uma idéia original, já que o Saramago já teve a sua Morte fazendo greve, em Intermitências da Morte – mas ela é um caso à parte. A sua ironia e o modo com que conta a história são envolventes, e mesmo que estrague a surpresa contando vários pontos do final muito antes dele chegar, é difícil não criar certa simpatia por ela.

É interessante ver a Alemanha tal qual Hitler concebeu a partir de uma criança, e uma criança alemã – no começo sem entender direito o que acontecia, ou a diferença entre um judeu e um não-judeu, para depois sentir a realidade da guerra. Fez-me parar para pensar como seria estranha aquela época, e como meus parentes teriam passado por ela. É quase que impensável para mim, pensar na discriminação criada por Hitler com judeus, quando vejo nas minhas origens tanto sangue alemão quanto judeu....

O jeito com que Markus Zusak concebe e leva o enredo é criativo, leve, bom de ler. A história, fascinante. É um daqueles livros que não se quer deixar, que ao mesmo tempo em que se deseja saber logo o final, a gente lê aos poucos para não terminar...

Ok, me rendi a um best-seller!

Para ler: A menina que roubava livros, de Markus Zusak, publicado pela Intrínsica.

7 comentários:

.raphael. disse...

já me falaram desse livro.. mas não me animei a lê-lo, às vezes tenho esse preconceito tb com best-seller. Quem sabe um dia!... valeu pela dica!

abs

guianafrancesa2005 disse...

Olá! Obrigada por ter comentado lá no meu Vida de Atriz.

eu tb fico meio assim de ler algo tão falado. Quero ver para crer...rss
Já me interessei por este livro só por se tratar da época da Alemanha nazista!
E fico feliz em saber que vc tem parentescos judeus!
Eu infelizmente não tenho, mas gostaria muuuuiiiitttooo de ter!

Obrigada pela dica!
bjs! Gisele

Abstracoess disse...

também tenho um pé atras com esse tipo de livro, e por isso não li ainda, mas agora talvez me anime.

por aqui tudo bem (esperando minha mãe autorizar a internet haha) e contigo, tudo certo?

se cuida, um abraço.

Adeus disse...

Rapaz, eu também sou assim como você, tenho um certo preconceito para ler esses best-sellers e assistir blockbusters, mas acabo me surpreendendo com muitos deles. A Menina que Roubava Livros me animou antes de saber que ele tava na lista dos mais vendidos, depois fiquei com receio de ler, mas já que você fala que é tão bom assim vou rever meus conceitos. Na verdade já deveria ter parado com essa besteira, mas não é algo que controlo, coisa da cabeça.

Bem, eu sou um desconhecido que certa vez decidiu comentar no seu blog. Meu nome é Vinicius!

Um abraço :)

cfermino disse...

Acredita que eu quase comprei? MAs dae na Saraiva eu achei o " A vida, o Universo e tudo mais" na prateleira e retomei a saga do Guia do Mochileira das Galaxias :P ... poxa o cara "das Curitiba" que ia ser super dificil encontrar (e foi mesmo). Só falta o volume quatro pra terminar a saga ... dae quem sabe A menina que roubava livros num seja o meu próximo. té mais!

Foguinho disse...

Ei,só pra te deixar informado:
O conto conta sobre um homem(que ainda não sabe) está no limbo.
Abraço

Emy disse...

Só tenho elogios para esse livro, realmente eh um best seller.