terça-feira, 15 de abril de 2008

O mundo de Camille...



...agora é povoado por gemidos, barulhinhos apropriados do ambiente e outros malabarismos vocais. Assim apresenta-se o seu novo álbum, Music Hole, em que mais uma vez utiliza a voz como instrumento.

Depois de uma estréia em um belo disco de pop francês (Le sac des filles), uma passagem pelo projeto Nouvelle Vague e do excelente Le fil, em que utilizou uma única nota musical como elo entre todas as canções, que já eram permeadas por sons produzidos pela voz, Camille chega ao seu novo e mais experimental trabalho, dessa vez cantando em inglês.

A escolha não é necessariamente uma novidade. Björk já havia feito algo com a mesma idéia no ótimo Medúlla, e ambas devem muito disso à performer nova-iorquina Meredith Monk, cujo trabalho é impossível não ser relembrado na The Monk de Camille e em Ancestors, da própria Björk. Contudo, influência confessa é a de Bobby McFerrin e seus ritmos – ela até faz cover de Don’t worry, be happy em suas apresentações atuais.

Camille usa dos artifícios já citados para brindar-nos com canções que às vezes flertam com o R&B, com o canto lírico, com o pop e com muitos outros estilos distintos, que, jogados nesse caldeirão, funcionam bem. As quebras feitas no fim de algumas delas assustam à primeira vista, mas parecem querer fazer alguma referência ao título do álbum. O Music Hole de Camille é a sua garganta, e que a francesa continue fazendo bom uso dela.

Para ouvir: Camille – Music Hole

8/10

9 comentários:

Jean Souza disse...

Rapaz! Acredita que ontem eu fiz um comentário aqui e ele simplesmente puft???

Obrigado pelo comentário lá pelos meus escritos! Eu costumo poupar as pessoas e não fico pedindo pra elas lerem, principalmente os textos mais longos, hehe...

Sobre o cedezin novo da Camille, estou ouvindo cada vez mais, está ótimo, apesar de alguns poucos estranhamentos.

Você sabe que o grupo musical Barbatuques participa de Canards Sauvages? Só ouvi dizer, não fui checar.

Outra coisa: eu tenho uma faixa bônus, chamada I Will never grow. Vc tem?

Abração aqui from Rio!!

Jean Souza disse...

ps: winter's child tem um Q de Le Fil que eu adorei!!!!

[meia noite e quatorze, acabei de acordar de duas horas de sono...vou começar a trabalhar agora, escrever umas coisas madrugada adentro! tá, nada a ver, eu só precisava dizer isso pra alguém!!, hahaha]

*lamenta

sigo ouvindo a Camille aqui companheira!

inté!

Adeus disse...

Rapaz, tomei um susto quando entrei aqui! Eu não sabia que a Camille tinha lançando um cd novo, fiquei muito feliz em saber pois adoro essa mocinha! Desde que a descobri no Nouvelle Vague virei fã, ano passado até fui em um show do Nouvelle, mas ela já tinha deixado a banda. O cd Le Fil é muito bom, mas ainda prefiro o "Le sac des filles". Vou baixar esse novo, gosto muito dela cantando em inglês também!
" e que a francesa continue fazendo bom uso dela."

:)

Kaue disse...

Pitango bem q podia colocar aqui um link pra gente baixar né?

*é, sou folgado*

Anne Elise disse...

Oi, queridão!!!

Como vc fica sabendo dessas coisas, assim, tão boas???

Valeu pela passagem em meu blog...
Dá uma olhada na postagem de hj...
(Fernanda Takai nas Livrarias Curitiba)...

Super beijo...

Pitango disse...

Kauê, enquanto não encontro um link para o cd, fica aí um para os outros dela! A senha é ultimovicio

http://ultimovicio.blogspot.com/search/label/Camille?max-results=20

Vitrola Analógica disse...

Desculpa demora, seu blog também é excelente, achei otima a postagem das bandas nacionais, a gente ta pensando em postar algumas musicas dessas bandas mais desconhecidas, tipo Rosie And Me que é daqui de curitiba! Mallu (que ja nao é tao desconhecida assim..)
Enfim, se vc quiser relacionar os blogs, acho otimo!
Até mais.

°°°F disse...

Primeira vez que comento cá em teu blog Pitango.
Então digo que gostei muito, e já tá entre os meus favoritos ativos.
Como fã de Camille fico encantado com os trabalhos dela. Mas tenho que ser sincero se me perguntar o que acho de Music Hole.
Não é meu Album favorito de Camille e estou ouvindo com uma certa dificuldade.
Quando descobri o Le Sac de Filles fiquei bem impressionado e em seguida baixei o Le Fil. Aí me apaixonei!
Isso poucos dias após ler no jornal que Camille faria um show no Teatro Odisséia (RJ), e ter ignorado completamente.
Esse novo trabalho, Music Hole, sinto que ela trouxe uma personalidade diferente para cada música rasgando no africanismo (Carnds Sauvages), no canto islâmico (Winter's Child)...
Quando Jean me disse que este album era todo cantado em inglês, fiquei com medo dele morrer no pop...mas ele ganha vida com som globalizado (no bom sentido da temida palavra).
°°°

°°°F disse...

Ela anda explorando muito a voz dela para "fins" religiosos. rs
Acabei de baixar a faixa The Monk que é puro canto gregoriano.
°°°